REVISÃO DA IN62: "AINDA NÃO É O MOMENTO DE ALTERARMOS PADRÕES DE CCS E CBT"

19/04/2018
 |   

O Ministério da Agricultura (Mapa) colocará entre esta semana e a próxima o texto de duas Instruções Normativas (INs) que pretendem trazer um novo regramento para a produção de leite no Brasil. Os textos substituem a IN 62 (antiga IN 51), que traz parâmetros importantes de qualidade do produto, como limites para a Contagem de Células Somáticas (CCS) e Contagem de Bactérias (CBT). A fim de buscar mais informações sobre o assunto, a Equipe MilkPoint entrou em contato com Mayara Pinto, Médica Veterinária, Auditora Fiscal Federal Agropecuária e Coordenadora do Grupo de Revisão da IN62.

 

O assunto foi apresentado na última quarta-feira (11/04) e segundo Mayara, um Grupo de Trabalho (GT) foi criado em janeiro deste ano com o objetivo de revisar as normas. O GT contou com colaboradores da Embrapa Gado de Leite, LANAGRO/MG e Associação Paranaense de Bovinos da Raça Holandesa, representando a Rede Brasileira de Laboratórios da Qualidade do Leite.

 

“Era uma ansiedade muito grande do setor e por isso, reunimos o nosso GT, auditores fiscais da área leiteira de vários estados representativos na produção de leite e profissionais da área de fomento do MAPA. Um dos principais pontos discutidos foram os padrões de CCS e CBT, que teoricamente, sofreriam alterações a partir de julho. Ao longo do processo de revisão, entendemos que ainda não era o momento de alterarmos esses limites e decidimos mantê-los. Porém, temos a consciência que é necessário avançarmos efetivamente nas melhorias da qualidade do leite para daqui alguns anos abaixarmos esses valores previstos”.

 

Uma das novidades da norma é a parceria com a Secretaria de Mobilidade Social e Cooperativismo, que fomentará a área de educação sanitária dos produtores de leite a fim de desenvolver etapas primárias, que são fundamentais para uma produção de qualidade. A Secretaria também compõe o GT e contribuiu com as ferramentas necessárias para a instituição das Boas Práticas Agropecuárias (BPA).

 

Quais foram as principais alterações propostas e que entrarão em consulta pública?

 

- diminuição da temperatura de recepção do leite de 10º para 7º;

 

- participação da Secretaria de Mobilidade Social e Cooperativismo para o fomento da educação sanitária e de um plano de qualificação dos fornecedores de leite. Também, serão feitas auditorias em propriedades rurais para verificar se as plantas estão sendo bem atendidas;

 

- proposta de um padrão de contagem bacteriana do leite já estocado nos estabelecimentos (hoje há discrepâncias entre o padrão do leite que está na propriedade e o leite que chega às indústrias);

 

- os produtores que reincidentemente (três meses) apresentarem resultados de contagem bacteriana – em média geométrica – fora do padrão, terão a coleta de leite suspensa até a apresentação de um novo resultado enquadrado no padrão.

 

“O objetivo não é punirmos os produtores de leite, mas, queremos que os estabelecimentos desenvolvam meios de trabalho para que isso não aconteça. Até por isso, colocamos três meses de consecutividade para ocorrer à interrupção”, explica a coordenadora do GT.

 

Data da Publicação: 19/04/2018.

Fonte: MilkPoint

https://www.milkpoint.com.br/noticias-e-mercado/giro-noticias/audio-revisao-da-in62-ainda-nao-e-o-momento-de-alterarmos-os-padroes-de-ccs-e-cbt-207789/

 

Novo comentário:

Por favor, digite a sequência de caracteres da imagem acima para validar o envio do formulário.

Voltar